segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Ou não


Afirmando sempre que – vontade, dá e passa - Por toda a vida, este pouco tempo de vida, porém afirmando sempre. Ficava horas a pensar em como não pensar, em como não sentir, em como desligar, desativar, descarregar. Vontade eu tinha, mas não podia, então vinha a frase, pensamento de apoio. “dá e passa.” Não podia fazer todas as minhas vontades, não podia dar aquele passo tão perigoso e de risco. Primeiro por não depender só de mim, e segundo que passa. Ficava horas pensando que uma hora iria passar. Horas esperando a tal hora da passagem, do passa, e nada, sempre á esperar. Passa,e em algumas situações passa realmente, mas em outras, a tortura é diária. Todos os dias as mesmas coisas, os mesmos pensamentos, e a mesma vontade. Sozinha em um navio a beira do naufrágio , eu e a minha vontade, vontade essa que deveria passar e até hoje não passou. Vontade de ter, sentir, amar, e tudo mais. Vontade, apenas isso, vontade, acho também que não só vontade, mas falta de coragem também. Medo, medo de me arriscar e cair, medo de errar, á algum tempo atrás era errado, mas hoje não mais. Esperei tanto tempo ela passar, mas ela continua parada na minha frente, tentadora. Me fazendo pensar em fazer o que o meu coração quer, e o que a minha cabeça, o meu racional não. Tento manter um equilíbrio, quase impossível, me sinto em uma corda á trezentos metros de altura, com um milímetro de largura, e é quase impossível manter o equilíbrio. Em meio a pensamentos, quando me deparo com ela na minha frente, sempre tentadora, me seduz, mas não me cega e acaba sempre fazendo pensar e repensar.

Uma coisa que parece tão simples, mas que no fundo é tão complicado. Acabo por me acostumar com tal situação, com a presença dela em quase todos os meus dias, mas até hoje, até então tenho conseguido me equilibrar nessa corda bamba. Mas tá tão difícil, parece que a qualquer momento meu coração vai bater mais forte, minha perna vai ficar bamba e eu vou cair, despencar desta corda de um milímetro de largura, e fazer tudo que há anos eu tenho vontade. Vontade de me entregar, de sentir, de me atirar de cabeça sem saber o que tem embaixo, vontade de arriscar. Vontade essa que foi a unica que não passou, “ainda”. Uma hora, um dia, uma noite, uma tarde, com chuva, com sol, um dia essa vontade passa, ou não.


7 comentários:

Andressa Tavares, disse...

- é, acho que todo mundo se depara com esse tipo situação. Não vejo a hora que passe tb, minhas vontades, meus desejos...
Tenho medo de um dia, olhar pra ele, e não sentir nada, nem se quer um arrepio, comparado aos terremotos que ele me causava e causa hoje em dia.
=/

' sibele lima disse...

Amei o post! *-*
Parabéns flor, sucesso!

Rafaela B. disse...

Uma hora vai passar, tem que passar!
Parabens pelo texto, e ótimo blog =)

Leticia disse...

Você escreve muito bem,está de parabens !
Estou ajudando minha amiga a divulgar o blog dela,se puder segui-la e comentar la ficarei grata !
http://gihcamp.blogspot.com/

R;* disse...

Oiiê..
Muito bom o texto; já passei por esse dilema,mas me decidi por atender a todas as minhas vontades, e agora me sinto feliz, realizada, aliviada é a melhor palavra a ser usada.
Não quero que no futuro eu olhe pra trás e veja que deixei de atender as minhas maiores e melhores vontades por medo de ariscar...
pense nisso ;D
Beeijo ;*
Seguiindo *--*

Camila Paier disse...

Também me encontro na mesma parada, esperando que passe, recobrando o fôlego pra que possa ser feliz, e afundar novamente. Espero que passe pra mim, e que em ti, passe também. A primavera entrou na roda, e agora é ir vivendo. Por aqui o sol tem aberto cada vez mais, e por aí, flor?
Beijoca!

Angélica Medeiros disse...

Que lindo seu texto!
Estou esperando que passe também.
=/
beijos