terça-feira, 17 de agosto de 2010

Elas sempre voltam

Sentada pensando, fumando e tomando um café.
E não consigo concluir nada. Continuo cheia de dúvidas. Amanhã vou acordar com a mesma cara de sempre, com as mesmas dúvidas e com o mesmo pensamento, pensamento esse que é: Como eliminar estas dúvidas.
Vou acender meu cigarro, tomar vários mates e continuar a pensar.
Vai me dar vontade e vai passar. vai me dar desejo também e vai passar, vou ficar por alguns minutos de mau humor e vai passar, vou sentir sono e vai passar, tudo passa, menos estas dúvidas.
Elas já não saem da minha cabeça.
Esquecerei por alguns instantes, voltarei a pensar e tentarei mais uma vez achar a conclusão, para que elas me deixem em paz.
Enquanto isso continuarei a pensar.
Talvez eu saia, e fale muito, talvez eu saia e não fale nada, fique muda, talvez eu não saia e passe o dia em casa a pensar. Não que eu queira, mas sem nada para fazer não é nada fácil não pensar.
Sinto que está chegando ao final, sinto que logo vai acabar, que estas dúvidas irão sumir e espero que não voltem (ficarei muito grata).
Depois de descobrir o que é, bem aí é bem mais fácil, ou não?
Talvez sim, talvez não, enquanto são dúvidas nada de agir, porém depois de descobrir o final ou chegar a conclusão, vem a ação.
Eis a questão!
E será que vou ter coragem de fazer tudo o que desejo?
Ou será que vou te medo?
E aí vem elas de novo, com outra pergunta, com outra insegurança, voltam as dúvidas, mudam as perguntas, mas elas voltam.
Elas sempre voltam!
Paro e penso.
Sempre se tem dúvidas?
Elas nunca nos largam?
Chego a conclusão que não.
S O C O R R O então.
Vou continuar a pensar, pois sempre haverá uma interrogação.


Um comentário:

Cristiano Zarichta disse...

São as dúvidas que movem o mundo. O fato de ter dúvidas é justamente a prova de que estamos vivos, crescendo e evoluindo. Adorei o texto. Continuarei visitando.
Cristiano.