quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Nem eu, nem tu.




Em uma tarde de chuva, entre um mate e um gomo de bergamota. Entre tu, entre eu, entre o bom e o ruim; entre a realidade e a ilusão; entre o amor e a atração; Meus pensamentos passam em uma velocidade que ultimamente nunca havia sido vista. Sentimentos vão e vem com rapidez. São amenizados com bolsa de gelo, são por momentos congelados, são guardados de certa forma. Ou são aquecidos com saudade e afeto. De uma forma ou outra, continuam ali esperando pra voltar a se manifestar. Antes não amenizava e nem era guardado, estava sempre aquecido, sempre visível. Agora fica ali, quietinho, guardado no peito. Antes dormia e acordava aos berros no meu peito, gritando, manifestando, urrando pra ser liberto. Libertei ou tentei, cada um a sua maneira. E então a minha maneira, já libertei, surtei, gritei e chorei, e agora mais uma vez é hora de guardar - guardo, escondo, sem direito a manifesto, sem direito a mais nenhuma manifestação. Calo - calasse aos poucos dentro do meu peito, faço-o mudo, invisível, e eu surda, cega, sem querer escutar mais nada, sentir menos, me faço uma muralha, um poste, uma parede, ou algo do tipo sem sentimentos. Mas como é impossível sinto calada, sinto amedrontada – quando sinto. Queria perto, hoje quero longe, distante e invisível, não quero ver, nem sentir, apenas esquecer. Talvez não haja bom e ruim, realidade e ilusão, amor e atração, nem eu, nem tu.

5 comentários:

R;* disse...

Talvez não exista, mas talvez exista...
Vai vivendo que um dia a resposta vem, resposta que na verdade nem é tão importante!
beeijo ;*

Maíra Souza disse...

Quem sabe um dia esquecer tudo aquilo que convém esquecer...
Mas os sentimentos, não vão deixar de existir.
Acho...

Muito bom! =)

Taí disse...

Nem o outro e você, só você resisti, e só você existe.
Esses pensamentos que a cada dia invadem mais nossa rotina e acaba dando giros terríveis em nós, mas quem é que disse que não gostamos desse sentimento não é mesmo?

Respodi seu comentários lá no post meu bem! Obrigada!

Beijos,
ótimo texto!

Andressa Tavares, disse...

Um dia a gente derrete a frieza do gelo com o calor do sentimento, no outro a gente transforma em gelo o mais quente dos sentimentos.

queria tanto transforma em gelo meu sentimento =/

lindo o texto!

Lara Oliveira. disse...

MARAVILHOSO! Disse tudo que estou sentindo, sério. Parabéns mesmo :)